• Quem é?

    Ivan Moraes 5010

    Deputado Federal- PSOL- PE

    Ivan Moraes é jornalista de formação, comunicador por vocação e militante por natureza.

    Está vereador do Recife pelo PSOL desde 2016, na defesa e promoção dos direitos humanos.

    Em 2019 quer ocupar a Câmara Federal e fazer política sem vergonha, com amor e pé na porta.

    Por onde andou

    até chegar aqui?

    Desde sua experiência como voluntário em um programa de controle da epidemia do HIV em Moçambique, voltou a decidido a só trabalhar em atividades que contribuíssem para mudar o mundo.

    A “fazer o bem”, como costuma dizer para simplificar as coisas.

    De tanto desejar e procurar, foi contratado pelo Centro de Cultura Luiz Freire, em Olinda, onde completou sua formação em Direitos Humanos, e se colocou à disposição da luta pelo Direito à Comunicação, Democratização da Mídia e pelos Direitos Humanos.

    Em 15 anos de militância, abraçou causas importantes como: Antiproibicionismo, Gênero e Sexualidade, Direito à Cidade e Defesa do Estado Laico.

    Como veio parar

    na política?

    Em 2016, quando sentiu a democracia ser golpeada, filiou-se a um ao Psol, por entender que era preciso também ocupar os espaços institucionais de poder. No Partido Socialismo e Liberdade, encontrou confluência máxima de ideiais e companhias de luta, para defender as causas que acredita. Dar mais voz às lutas de sujeitas e sujeitos historicamente invibilizados.

    No mesmo ano, com uma campanha coletiva e afetiva, disputou e conquistou uma vaga de vereador do Recife, a primeira do PSOL, exercendo hoje um mandato paritário, horizontal e transparente.

    Ele vereador,

    é como?

    Sua atuação tem como propósito aproximar a sociedade da política institucional, abrindo a Câmara pras ruas e trazendo as pessoas pra a Câmara, participando das decisões que impactam suas vidas.

    É a gente com mais voz nos lugares de poder.

    Tudo com transparência, em um mandato de esquerda, popular, horizontal, paritário, feminista, anti-racista, anti-LGBTFóbico, antiproibicionista, acessível e de portas abertas para quem é de luta pela promoção e defesa dos direitos humanos

    Quer o quê

    na Câmara Federal?

    Aumentar a voz da gente no Congresso Nacional e fazer uma política sem vergonha de defender os temas que a gente acredita.

    A gente quer botar o pé na porta pra construir um Estado que sirva à maioria da população.

    Um país que pague sua dívida histórica com nossos povos tradicionais, com a população negra, com as mulheres, com as pessoas LGBTIQ.

    A gente quer uma nova política de drogas, um sistema de comunicação que não negue voz a ninguém.

    A gente quer justiça tributária e o fim do encarceramento em massa da juventude negra.

    A garantia dos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres, para que elas possam ter autonomia sobre seus próprios corpos.

    E a gente quer muito mais ainda.

    Quer mais o que?

    Que você participe!

    Que todo mundo participe da política.

    "Quanto mais a gente participa, melhor a política fica".

    Pra voz da gente ecoar, se espalhar ainda mais, toda ajuda é bem-vinda.

    Vote 5010 para Deputado Federal e faça parte da campanha.

     

  • Mude seu perfil nas redes sociais!

    A gente fez várias opções de twibbon pra você embunitar sua foto nas redes socias.

    Pode ser em cima, em baixo, de lado, contato que seja #IvanMoraes5010!

    Adesive sua bike com #IvanMoraes5010

    Você pode:

    1. Pegar com a gente no comitê Casa Marielle Franco: Casa Marielle Franco⠀
    Rua Felíciano Gomes, 134, Derby⠀

    2. Pedir por zap: +55 81 98110-5010

    3. Baixar aqui e imprimir você mesma/o!

    Bora Panfletar!

    A gente tá com muito material massa pra distribuir para pessoas e apresentar a campanha da gente. Você pode: 1. Pegar materiais na Casa Marielle Franco: Rua Feliciano, 134, Derby.

    2. Organizar uma turma e ir pras ruas;

    3. Colar com a gente nas panfletagens ( a programação é enviada pelo zap: (81) 9.8810.5010

    4. Baixar o material aqui e rodar você mesma/o!

    Vai um cafezinho?

    A gente quer te encontrar de todo jeito. Nem que seja pra um cafezinho.

    Você pode juntar uma turma pra gente conversar. Pode ser na sua casa mesmo!

    É só mandar um email para ivanmoraes5010@gmail.com e combinar uma data, local e hora.

    A gente chega na sequência!

    A gente com mais voz!

    Bora furar nossas bolhas das redes sociais!

    A gente quer dialogar com mais pessoas e fazer com que nossas ideias possam encantar e engajar cada vez mais gente.

    Pra isso, a gente precisa de toda curtida, comentário, compartilhamento e disparo pelas listas e grupos de whatsapp.

    Tá com a gente nessa?

    Então adiciona nosso Whatsapp (81) 9.8110.5010 e comece a receber agora todos os conteúdos de campanha.

    Se quiser ainda mais um cadinho, clica em "Guerreou!"

    Organize seu comitê!

    Não precisa muita coisa! De verdade.

    Às vezes é fazer o que você já faz no seu bairro, conversar com a turma, tomar um café, colocar umas cadeiras na calçada e o comitê tá criado.

    A gente te ajuda!

    É bom sempre ter materiais pra distribuir pro pessoal e para alimentar as atividades. A gente leva.

    Vocês podem marcar panfletaços, rodas de conversa sobre os temas das nossas propostas, exibir um filme, falar sobre política e chamar a gente pra conversar também!

    Tá valendo demais.

    Instigou? Dá um alô que a gente te ajudar a organizar.

  • Chega mais e faça parte da nossa campanha!

    Somos toda/os multiplicadora/es! O desejo da gente com mais voz, agora na Câmara Federal, é coletivo.

    A gente pode ajudar a realizar essa vontade de várias formas.

    É só você querer que a gente te ajuda a ajudar!

  • Política Sem Vergonha

    Quantas lutas cabem em um mandato na Câmara Federal?

    Todas aquelas que estão irmanadas pela promoção e defesa de direitos.

    A gente sabe que cada uma dessas lutas tem suas e seus protagonistas. A gente não anda só.

    Essa é uma construção partilhada com muitos saberes. São muitas as forças que confiam e constroem com a gente.

    É uma responsabilidade que a gente assume com muito orgulho.

    Fazemos política sem vergonha!

    Sem vergonha de escolher um lado. Sem vergonha de ir para o embate contra aquelas e aqueles que tentam arrancar nossos direitos, violar nossas vidas.

    Mande suas sugestões, críticas, dúvidas para o nosso email: ivanmoraes5010@gmail.com

    Este é um plano aberto e em constante construção!

     

    Direito à comunicação

    Por uma bancada do Direito à Comunicação no Congresso Nacional

    Todos nossos compromissos pela democratização da comunicação estão aqui.

     

    DEFENDEMOS:

     

    1. Incidir para que sejam regulamentados os artigos 220 ao 224 da Constituição de 2008, que regulam econômica e estruturalmente a radiodifusão brasileira;

    2. Impedir que sejam aprovadas leis que restrinjam a liberdade de expressão e a livre manifestação no Brasil

    3. Em conjunto com o movimento de radiodifusão comunitária, propor legislação que aperfeiçoe a lei 9612/98, que regula o setor, ampliando alcance, quantidade e formas de financiamento das radcoms;

    4. Trabalhar para o fortalecimento do sistema público de comunicação, a começar pela EBC, buscando garantir-lhe a autonomia e a sustentabilidade política e econômica para que afirme seu caráter público (e não governamental)

    5. Incentivar e demandar programas que tenham como objetivo a universalização do serviço de Internet, em caráter público, não abrindo mão de princípios como a liberdade de expressão, a neutralidade da rede e a privacidade de dados pessoais.

    Antirracismo

     

    A luta contra o racismo não é negociável

    Todos nossos compromissos antirracistas estão aqui.

     

    DEFENDEMOS:

     

    1. a regulamentação de uma comunicação pública comprometida com a diversidade e o enfrentamento ao racismo, colocando em evidência mecanismos legais de paridade e representatividade;

    2. Fiscalização do cumprimento da lei que obriga o ensino da história e cultura afro brasileira nas escolas públicas e privadas em todos os níveis de ensino previstas nas Leis 10.639 e 11.645 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB),

    3. Propor e defender projetos de lei, bem como fiscalizar eventuais políticas públicas, que pautem o enfrentamento ao racismo institucional;

    4. No que diz respeito à composição do mandato, garantir a paridade de gênero e étnico racial para que essa maioria vulnerabilizada participe dos ciclos de planejamento, monitoramento e avaliação de políticas públicas no âmbito do legislativo federal. Além disso, promover a valorização do trabalho das(os) negras(os), coibindo práticas racistas como desigualdade salarial para pessoas que cumprem a mesma função.

    5. Fortalecer iniciativas legislativas e políticas públicas voltadas ao fomento das diversas manifestaçõe e linguagens das culturas populares, monitorando, registrando e divulgando o lugar econômico ocupado por cada uma das diversas vertentes culturais.

    Direito dos povos originários

    e tradicionais

    Reparar dívidas históricas e descolonizar a política

    Todos nossos compromissos com os povos originários aqui.

     

    DEFENDEMOS

    1. Lutar pela ampliação de recursos para as licenciaturas intercultural indígenas e incidir para tornar lei a bolsa permanência escolar para indígenas e quilombolas;

    2. Posicionar-se contra a PEC 215, que dificulta o processo de demarcação de terras indígenas e quilombolas quando atribui essa tarefa exclusivamente ao Congresso Nacional;

    3. Pressionar o governo federal para que institua, equipe e garanta dotação orçamentária para estruturas e programas que garantam os direitos dessas populações, garantindo também suas especificidades;

    4. Fiscalizar e cobrar do governo federal que avance com a homologação, titulação e desobstrução dos territórios indígenas e quilombolas de Pernambuco e de todo o Brasil;

    5. Promover, através de produtos de comunicação, a igualdade racial e fomentar o protagonismo dessas populações na produção e distribuição de campanhas e peças de comunicação que sensibilizem a sociedade para a necessidade de garantir direitos desses segmentos.

    Antiproibicionismo

    É preciso relegalizar e descriminalizar as drogas

    Nossos compromissos antiproibicionistas aqui.

    DEFENDEMOS:

     

     

    1. Legalizar imediatamente a maconha para plantio e uso medicinal

    2. Descriminalizar e Regulamentar a produção, comércio e consumo de todas as drogas proibidas;

    3. Fortalecer e expandir políticas de redução de danos, defendendo o reconhecimento da inserção sócio produtiva das redutoras e redutores de danos como campo de trabalho às pessoas que usam drogas e garantindo o Estado Laico a partir do fim da intervenção religiosa na política de drogas;

    4. Potencializar a frente parlamentar antiproibicionista na câmara federal;

    5. Pautar o processo democrático nos conselhos sobre drogas (nacional, estadual e municipal).

     

     

    Ecossocialismo

    Por uma reforma agrária popular agroecológica que priorize a agricultura de base familiar.

    Todos os nossos compromissos com o ecossocialismo aqui.

     

    DEFENDEMOS

    1. Defender o fortalecimento da agricultura familiar que privilegie a diversidade produtiva e se coloque contra o uso de agrotóxicos e transgênicos, apoiando proposições legislativas que, por exemplo, imponham limites à venda e importação de transgênicos (vide o PL 6423/2013);

    2. Desmatamento zero e ampliação das áreas de conservação ambiental;

    3. Defender o investimento em ciclos produtivos locais e sustentáveis. Pelo fortalecimento do programa de aquisição de produtos da agricultura familiar pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar;

    4. Defender investimentos em pesquisas e na implantação de formas de geração de energia não poluentes que nos permita superar a atual matriz energética baseada nos combustíveis fósseis;

    5. Defender a implementação de uma política de universalização do acesso ao abastecimento de água e integração do tratamento de esgotos com resíduos sólidos orgânicos. Atuar no fortalecimento de mecanismos de participação coletiva nas gestões hídricas e convivência com a seca.

    Segurança cidadã

    Prevenção à violência através da inteligência e do engajamento social

    Todos os nossos compromissos com a segurança cidadã aqui.

    DEFENDEMOS

     

    1. Posicionar-se contra a guerra às drogas, fomentando o debate para que a prioridade da política pública de segurança cidadã seja de fato a redução dos homicídios no nosso país, levando-se em conta o perfil das vítimas e as particularidades dos território onde crimes contra a vida são mais frequentes;

    2. Propor e defender legislação que defina explicitamente o dever de cada ente federativo no SUSP, como, por exemplo, especificando tarefas que cabem aos municípios, como a criação de programas de prevenção à violência, de ampliação e interiorização das audiências de custódia, de criação de mecanismos de gestão cidadã do sistema prisional, garantindo o oferecimento de trabalho, educação e cursos profissionalizantes às pessoas dentro do sistema e a sua reintegração social quando egressas, dentre outros;

    3. Propor e defender legislação que crie critérios objetivos para repasses de recursos federais a Estados e municípios que não sejam circunstanciais, condicionando o recebimento de verbas a indicadores objetivos que comprovem o bom uso da verba pública, atrelando-os, por exemplo, a indicadores de transparência nos dados, prestação de contas, controle da letalidade policial, entre outras;

    4. Propor e defender legislações e políticas públicas que combatam o encarceramento em massa em curso no país, em consonância com a Agenda Nacional pelo desencarceramento, e que regulamentem e estruturem os mecanismos de fiscalização do sistema prisional, especialmente aqueles voltados ao combate à tortura e a demais tipos de violação de direitos humanos;

    5. Apoiar legislação que garanta o papel do Ministério Público no controle externo da atividade policial, já previsto na Constituição, e defender o fim dos autos de resistências a partir da aprovação do Projeto de Lei nº 4.471/2012.

    Genero, sexualidade e afetividades

    Autonomia dos corpos e liberdade para expressar e viver afetividades

    Nossas propostas para a diversidade aqui

    DEFENDEMOS

    1. Criar grupo de trabalho com ampla representatividade do movimento feminista para pautar o tema da descriminalização e legalização do aborto, produzindo projeto de leis, monitorando os que estão em tramitação e produzindo uma campanha nacional sobre o tema;

    2. Combater os crimes transfóbicos e pressionar o Governo Federal para assegurar o uso do nome social, fortalecer no SUS a política de assistência às pessoas em processo de transição, bem como fiscalizar a implementação da Lei n.º 13.104/2015 que tipifica o crime do feminicídio e garantir projetos de lei que se traduzam em segurança para as mulheres nos espaços públicos;

    3. Incidir de modo a estender para as famílias da comunidade sexodiversa os direitos atualmente negados (casamento, adoção, previdência, saúde, etc.);

    4. Propor projeto de lei que garante 120 dias para a licença paternidade, que se some ao período da licença maternidade já prevista em lei;

    5. Produzir materiais de comunicação sobre uma educação que cultive a equidade entre gêneros e o respeito à diversidade sexual, racial e religiosa nas escolas e atuar de forma combativa na defesa da pauta no plenário.

    Cultura

    Desfrute e criação artística para o desenvolvimento das pessoas e pela emancipação criativa

    Nossas propostas para cultura aqui.

     

    DEFENDEMOS

    1. Fortalecer o Fundo Nacional de Cultura, defendendo o aumento da sua receita orçamentária;

    2. Defender a execução de dotações orçamentárias capazes de garantir a manutenção e a promoção dos museus em território nacional, fiscalizando o cumprimento do Estatuto dos Museus (Lei Federal nº 11.904/2009) e em oposição à privatização destes equipamentos culturais;

    3. Fiscalizar o cumprimento da Lei Federal que fixa as diretrizes e bases da educação nacional, referente ao ensino da arte (nº 13.278/2016), a qual modificou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei Federal nº 9.394/1996), incluindo na grade curricular do ensino infantil, fundamental e médio matérias como as artes visuais, a dança, a música e o teatro;

    4. Defender a regulamentação e o fortalecimento do Sistema Nacional de Cultura, apoiando a aprovação do Projeto de Lei nº 4.271/2016, que regulamenta o § 3º do art. 216-A da Constituição Federal;

    5. Apoiar e fiscalizar o bom funcionamento da Política Nacional de Cultura Viva (Lei Federal nº 13.018).

       

    Acessibilidade

    Autonomia e Garantia de Direitos para as pessoas com deficiência.

    Nossas propostas para acessibilidade aqui.

     

    DEFENDEMOS

    1. Fiscalizar e monitorar a aplicação do Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei Federal 13.146/2015) e da Lei de Cotas da Pessoa com Deficiência (art. 93 da Lei Federal 8.213/91), bem como da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência da ONU, ratificada em 2008 pelo Brasil com o status de emenda constitucional;

    2. Propor e defender proposições legislativas que pautem a democratização e acessibilidade comunicacional das TVs públicas e abertas e que regulamentam a profissão do áudio-descritor(a);

    3. Pautar a criação de uma secretaria da pessoa com deficiência no Estado de Pernambuco e na União.

    4. Acompanhar e incorporar as pautas trazidas pelo Conselho Nacional da Pessoa com Deficiência;

    5. Propor e defender proposições legislativas que determinem a Língua Brasileira de Sinais (Libras) enquanto disciplina obrigatória no ensino escolar e nas universidades em todos os cursos.

    Modelo de Estado

    População no controle e na tomada de decisões

    Nossas propostas para um estado laico e garantidor de direitos aqui.

    DEFENDEMOS

     

    1. Atuar contra Reformas prejudiciais à sociedade, como a reforma da Previdência em tramitação. Buscar também ações para reverter efeitos devastadores da reforma trabalhista (Lei Federal nº 13.467/2017), Emenda Constitucional do Teto dos Gastos Públicos (EC nº 95/2016) e outras medidas ilegítimas do governo federal;

    2. Fiscalizar, através dos mecanismos de acesso à informação e presencialmente, a oferta de serviços públicos de qualidade que proporcionem o acesso de toda população a seus direitos sociais;

    3. Estimular a participação social direta nas atividades legislativas em busca de um Parlamento ativo, transparente e participativo, e nas decisões do Poder Público em todas as instâncias viáveis, defendendo, por exemplo, a aprovação de uma Política Nacional de Participação Social e do Sistema Nacional de Participação Social (PL 8048/2014); ao mesmo tempo, estimulando a utilização efetiva dos mecanismos de participação popular já disponibilizados, acompanhando seus funcionamento;

    4. Transparecer e atuar frente ao orçamento público federal, nas leis orçamentárias (LDO, LOA e PPA) e na execução orçamentária da União para viabilidade das políticas públicas prioritárias para sociedade, pautando uma Reforma Tributária que promova maior distribuição de renda e defendendo, na Câmara Federal, propostas legislativas que toquem em questões como a taxação das grandes fortunas (PLP 227/2008), dos rendimento especulativos isentos (PL 3799/2015), uma política de valorização do salário mínimo (PL 7199/2017), dentre outras;

    5. Agir junto a instituições de controle contra a violação de qualquer garantia de direitos sociais por parte do Estado via fiscalização direta e constante, bem como através de demanda da população, defendendo a inserção dos direitos sociais como cláusulas pétreas na Constituição Federal (PEC 299/2016).


     

  • Compromissos


    Por mais de dez anos, nos períodos eleitorais, eu me sentava com companheiros e companheiras para escrever cartas. Cartas que eram formuladas por organizações da sociedade civil e direcionadas às candidaturas, para que se assumissem compromissos com as nossas pautas. As que eu rabiscava eram principalmente sobre os direitos humanos, especificamente sobre o direito à comunicação. Mas também dava meus pitacos nas demandas sobre política sobre drogas, direitos da infância, direito à cultura e até sobre direito ao esporte.

    Não são poucos os grupos que buscam incidir dessa forma. Por todo o país, há dezenas (centenas? milhares?) de organizações, redes, articulações e movimentos que não disputam a política institucional. Não se candidatam nem promovem candidaturas. Mas que se debruçam sobre a realidade das pessoas e formulam políticas. Estão nas bases. Nos territórios, nas ruas, nas universidades. É gente que tem muito o que dizer e que precisa ser levada em conta pelos partidos e pelas pessoas que desejam ocupar a máquina pública para implementar ou fiscalizar essas políticas.

     

     

    Dessa vez, como em 2016, eu estou “do outro lado”. E estou fazendo minha tarefa lendo com carinho muitas dessas propostas e me comprometendo com muitos desses grupos, que têm pautado os mais diversos temas. Por reconhecer a legitimidade que têm ao sugerir encaminhamentos para suas propostas e por acreditar que um mandato parlamentar popular precisa necessariamente ser uma porta aberta na via institucional para que essa turma possa incidir de verdade. É assim que tem funcionado nosso mandato municipal. Assim será no Congresso Nacional.

     

    Assim, já foram vinte e dois documentos com os quais nos alinhamos. Alguns são cartas que assinei. Outros são posicionamentos tornados públicos pelas instituições que os defendem e que a gente se soma ao anunciar nosso alinhamento. Sem exceção, os documentos têm em comum a defesa intransigente por direitos humanos e a preocupação de que, nesse cenário tão sombrio em que vivemos, precisamos estar firmes na luta - dentro e fora das instituições - para não permitirmos mais nenhum retrocesso em nossa caminhada civilizatória.

     

    Estamos juntos!

     

    CARTAS DE COMPROMISSOS ASSINADAS POR IVAN MORAES - 5010

     

    EDUCAÇÃO

    1. título: Compromisso com a Educação Pública e de Qualidade para Todos e Todas
    autoria: Campanha Nacional pelo Direito à Educação

     

     

    2. título: Compromissos para candidatos ao Legislativo em defesa da Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I)
    autoria: Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC)

    SAÚDE
    3. título: Carta do CNS aos(às) Candidatos(a)s às Eleições 2018
    autoria: Conselho Nacional de Saúde

    4. título: 10 pontos urgentes para os futuros governantes e parlamentares
    autoria: Associação Brasileira de Saúde Coletiva

    DIREITO DOS ANIMAIS
    5. título: Carta Compromisso - Promovendo o vegetarianismo como uma alimentação ética, saudável e sustentável
    autoria: Sociedade Vegetariana Brasileira

    ANTIPROIBICIONISTA
    6. título: Coalizão de Candidaturas pela Reforma da Política de Drogas
    autoria: Plataforma Brasileira de Política de Drogas

    DIREITO DA CRIANÇA E DA(O) ADOLESCENTE
    7. título: Carta das Juventudes de Pernambuco - Jovens pelo Direito de Viver e pelo Fortalecimento da Democracia
    autoria: Fórum das Juventudes de Pernambuco

    8. título: Compromisso Público “Mais que Promessas - Compromissos reais com a infância e a adolescência no Brasil”
    autoria:UNICEF

    9. título: Decálogo de Compromissos para os candidatos à representação do Estado de Pernambuco no Congresso Nacional
    autoria: Fórum Estadual DCA - Direitos da Criança e do Adolescente de Pernambuco

    NEGRITUDE
    10. título: Plataforma Política da Setorial Provisória de Negritude do PSOL Pernambuco/PCB/Movimentos Sociais para as candidaturas Majoritária e Proporcionais da Chapa PSOL-PCB.
    autoria: Setorial Provisória de Negritude do PSOL Pernambuco/PCB /Movimentos Sociais [Ação Comunitária Caranguejo Uçá, Associação metropolitana de Hip Hop de Pernambuco, Coletivo de Negritude do Mandato Ivan Moraes, Coletivo Pão e Tinta, Círculo Palmarino, Frente Favela Brasil, Grupo Espaço Mulher (Mulheres Negras de Passarinho), Livroteca Brincante do Pina, Movimento Negro Unificado, Step Evolution Crew]


    ECONOMIA
    11. título: “Direitos Valem Mais, Não aos Cortes Sociais”

    autoria: Campanha Direitos Valem

    12. título: Plataforma dos Consumidores
    autoria: Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC)

    ESPORTES E LAZER
    13. título: Propostas para um esporte mais popular e democrático - Plataforma do Coletivo Democracia Santacruzense aos candidatos e candidatas de Pernambuco nas eleições de 2018
    autoria: Coletivo Democracia Santacruzense

    DIREITO À COMUNICAÇÃO
    14. título: Uma proposta para o fortalecimento da mídia alternativa - Plataforma Eleitoral do Barão de Itararé
    autoria: Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé

    15. título: Carta-compromisso em defesa da Democracia e por uma Comunicação Democrática no Brasil
    autoria: Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC)

    DIREITO À CIDADE E À MORADIA
    16. título: Carta-Compromisso pela Proteção Contra as Remoções Forçadas
    autoria: Rede Contra Remoções

    17. título: Carta Compromisso de Mobilidade Ativa para Pernambuco
    autoria: Bike Anjo, Ameciclo, SETRANVASF e Pedal Rosa do Vale.

    AGROECOLOGIA
    18. título: Carta de Compromisso aos/às candidatos/as ao Legislativo e Executivo nas eleições de 2018

    autoria: Campanha Permanente contra os Agrotóxicos e pela Vida

    19. título: Carta Aberta da Articulação Nacional de Agroecologia à Sociedade Brasileira sobre as Eleições 2018

    autoria: Articulação Nacional de Agroecologia (ANA)

    GÊNERO, SEXUALIDADE E AFETIVIDADES
    20. título: Plataforma Eleições 2018 – Promoção da Cidadania LGBTI+ – Por um Brasil de todas e todos com diversidade e respeito
    autoria: ALIANÇA NACIONAL LGBTI e PARCERIAS

    21. título: Carta de Compromisso - Programa Mínimo de Ação sobre AIDS
    autoria: Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV e AIDS - Núcleo Pernambuco
    método: assinatura da carta.

    CLASSE
    22. título: Carta Compromisso - Compromisso Público de Candidaturas aos Parlamentos por Pernambuco
    autoria: Sindicato dos Servidores Públicos do Ministério Público de Pernambuco

     

    ASSISTÊNCIA SOCIAL

    23. título: Termo de Compromisso com a Luta para a Recomposição do Orçamento da Assistência Social

    autoria: Frente Pernambucana em Defesa do SUAS

  • PRESTAMOS CONTA

    Todos os recursos da nossa campanha são gastos com transparência. Já é tradição da gente.

    Fizemos na campanha de 2016, fazemos no mandato na Câmara do Recife e faremos

    na campanha para Deputado Federal. Doações individuais e fundo partidário são nossas principais

    fontes de recursos. Vêm de de pessoas que acreditam na gente e dos impostos que pagamos.

    Você merece saber como gastamos cada centavo. Toda semana uma nova prestação!

    Acompanhe aqui:

    Tá chegando a hora de votar 5010

    Penúltima semana de campanha e a gente ta como? Ventilador ligado no 3. Essa semana a gente colocou nossas propostas no mundo disparamos por aí, conversando sobre nosso jeitinho de fazer política sem vergonha!

    Chamou pra conversar a gente vai!

    O que a gente tomou de café nessa semana não foi brincadeira. E o melhor não é nem a energia que o café dá, mas a energia que vem da turma que chama pra conversar e que tá na instiga de construir essa candidatura com a gente.

    Querendo tomar um café, é só chamar. (81) 98110-5010

    Panfletaços mil

    Semana pra colocar um monte de material da campanha no mundo.

    A gente quer conquistar mais pessoas pro nosso lado e contamos com todo mundo. Se quiser materiais para organizar seu panfletaço, chama a gente no zap: (81) 98110-5010

    Dou-lhe uma, dou-lhe duas, dou-lhe 5010

    Um reforço gigantesco na arrecadação da nossa campanha chegou com o leilão. Um monte de artistas massa doaram suas artes e seus trabalhos e agora temos mais um monte de materias para distribuir por ai. Você também pode contribuir: https://votolegal.com.br/em/ivanmoraes/

    Montando o time e colocando a campanha na estrada.

    Essa foi uma semana para organizar a equipe que vai garantir a acessibibilidade, a comunicação digital e a mobilização da nossa campanha. Com materiais também em mãos, começamos a circular pelo interior do Estado.

    Esvaziando os bolsos e quebrando os porquinhos

    A campanha começou! Chegou a hora de rodar materiais, produzir jingle e ganhar as ruas e corações. Investimos nossos recursos e energias basicamente nisso nessa primeira semana. Pode observar!

  • QUER SABER MAIS?

    Estamos aqui pra conversar. Escolha um canal e fala com a gente!

    All Posts
    ×